Domingo, 17 de Junho de 2007

O Ataque a Chaves

Joaquim Leitão, O Ataque a Chaves (1916). Note-se a evocação monárquica da cercadura azul e branca.

 

   A bibliografia impressa sobre as incursões monárquicas de 1911 e 1912 é vasta e bem conhecida dos especialistas. Existem, contudo, várias outras fontes, particularmente as manuscritas, que permanecem inéditas ou pouco divulgadas. Tal sucede com muitos dos relatórios e documentos depositados no Arquivo Histórico Militar, em Lisboa.

   Desse acervo, transcrevem-se duas listas dos civis que participaram na defesa da então vila de Chaves e duas passagens de uma extensa memória militar, elaborada em Braga e datada de 30 de Novembro de 1920, intitulada "Combate de Chaves" (AHM, 1.ª divisão, 34.ª secção, caixa n.º 9, n.º 1, ano de 1912).

 

   "Relação dos atiradores voluntários de Chaves que tomaram parte nas linhas de fogo, no espaldão da carreira do tiro e durante todo o dia 8 na defeza da Republica em Chaves aos 8 de Julho de 1912:

José Fernandes Canedo, comandante, Antonio Cachapuz, Vitorino Pereira (Vidago), José Reis, José Lourenço, Manoel Antonio Rodrigues, Antonio Maria, Adelino Chaves, Alfredo Tortinho, João Chipas, Rodrigo Augusto d'Amorim, Francisco de Souza, Antonio Martins, Sebastião Guimarães, Manoel do Nascimento Carvalho, Bernardino do Nascimento Carvalho, Manoel Augusto Lopes, Alexandre Luiz Pereira Junior, Raul Alves Leite, Manoel Rato, José Francisco de Moraes, José Neves de Souza, João Neves de Souza, Alexandre Pereira de Moraes, Alberto Pinto Gomes Ramos, Manoel Neves, Antonio Ramos, Antonio Pimentão, Antonio Sabroso, Antonio Castro Lopo, Antonio da Costa, Pedro Caiador, Antonio Ferreira, Antonio Martins Junior, Acacio Rodrigues."

 

(...)

 

   "Relação dos atiradores Voluntários de Chaves que em 8 de Julho se bateram ao lado das tropas republicanas em Vila Verde da Raia:

Dr. Antonio Joaquim Granjo, Antonio Jose Luiz Pereira, Deodoro Faria, Aurelio Ribeiro, Manoel Lima, João Gomes, Carlos Santa Crus, José Ramos Agrela, Alfredo Quina Falcão."

 

   Seguem-se dois excertos dos comentários de um oficial superior registados na supracitada memória:

 

   "XXXIII: Civis. Justina Maria da Silva, Gloria dos Anjos Alves Carneiro – Condecoradas com a medalha de "Merito, Philantropia e Generosidade" e gratificadas cada uma com 50 escudos "pelo arrojo e dedicação com que auxiliaram o transporte de agua e de viveres para a linha de fogo, em 8."

   A segunda das recompensadas cidadãs so pela citação official é conhecida, pois nenhuma referencia aos seus dedicados serviços se encontrou nos relatorios commentados. A outra, a Justina, conhecida uma meretriz conhecida [sic] pelo expressivo sobriquet de "Maria dos Garôtos" mereceu ao Chico Preto, chefe dos Serviços Administrativos, do Sector, quentes louvores que a maledicencia local não reputou de todo desinteressados.

   Relata o Chefe dos Serviços Administrativos que a Maria com um admiravel sangue frio e de baixo de um fogo intenso, ajudara a distribuir as rações de vinho e de viveres aos homens na linha de combate. (...) Mas a verdade é que democraticamente muito bem acamaradaram na ordem do exercito o Chico Preto ao lado da Maria dos Garôtos."

 

(...)

 

   "XXXIV: Voluntarios Civis. Os voluntarios civis eram e ficaram sendo conhecidos como "Elementos Civis" como "Defensores da Republica" e tambem como "Patriotas" no espirito caustico da multidão.

   O seu numero effectivo em Chaves deve fixar-se em 150 porque tantos foram os que em 8 de Julho depois das 8 horas da manhã se aprezentaram no quartel d'inf 19 para receber armamento e munições, como fôra acordado entre o seu chefe Canedo e o C. E. Maior do Sector, capitão Maia de Magalhães. (1)

   D'estes 150 patriotas apenas 3 ou 4 seriam republicanos sinceros e anteriores ao facil triumpho da demagogia em 5 de Outubro.

   Alguns não passavam de pretendentes a empregos publicos com mais aptidão para manejar um trabuco do que para soffrer as provas de um concurso.

   Outros e muitos reprezentavam os aventureiros trucolentos, os proffissionaes da desordem, conhecidos hoje como "carbonarios" da Republica e hontem como "caceteiros" da Monarchia. Ainda um crescido numero obedecia á inconsciencia das multidões inaptas para comprehender e explicar as determinantes da sua acção.

   Muitos dos voluntarios haviam recebido instrução de tiro ao alvo, na carreira de Chaves, na vigencia do regimen monarchico. (2)"

 

publicado por blogdaruanove às 23:56
link | favorito
Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



.Dezembro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.posts recentes

. Anuário de Chaves, n.º 3...

. Anuário de Chaves, N.º 2 ...

. Chaves e a Crise de 1383/...

. Chaves e a crise de 1383/...

. Liceu Nacional Fernão de ...

. De “Almanaque de Chaves” ...

. A 2.ª publicação do “Alma...

. O Almanaque de “O Comérci...

. O Almanaque de Chaves, de...

. Tratado de Limites de Lis...

.arquivos

. Dezembro 2019

. Novembro 2018

. Maio 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Maio 2017

. Abril 2016

. Janeiro 2016

. Abril 2015

. Fevereiro 2015

. Outubro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Outubro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Janeiro 2013

. Setembro 2012

. Maio 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

.tags

. todas as tags

.Links

.Crative Commons

Creative Commons License
Este Blogue e o seu conteúdo estão licenciados sob uma Licença Creative Commons.

.Olhares on-line

online

.pesquisar

 
blogs SAPO

.subscrever feeds